Melasma

O melasma atinge preferencialmente mulheres: elas são mais de 90% dos casos. Quem tem melasma apresenta tendência a desenvolver manchas na pele do rosto, principalmente acima do lábio superior, bochechas, testa e nariz.

As manchas aparecem por uma mistura de tendência pessoal (determinada pela genética), presença de hormônios femininos e exposição ao sol. Assim, pessoas com tendência genética devem evitar ao máximo a exposição solar, mesmo no dia a dia. O uso de anticoncepcionais hormonais acentua a predisposição às manchas. A gestação também costuma agravar ou desencadear manchas em mulheres predispostas.

O tratamento do melasma é trabalhoso e envolve duas fases, a de clareamento e a de manutenção.

O clareamento é feito com uso de cremes despigmentantes noturnos e com peelings químicos realizados em consultório dermatológico.

Depois do clareamento é fundamental continuar o acompanhamento dermatológico para a manutenção do resultado.

Nas duas fases, evite exposição ao sol. Fique à sombra e fuja dos horários de pico. Use filtro solar anti-UVA e anti-UVB, e com FPS 30 no mínimo. O ideal é usar filtro solar com ingredientes como óxido de zinco ou dióxido de titânio. Esses ingredientes dão cor opaca e branca ao creme, mas o inconveniente é contornado se seu filtro tiver tom de base. No dia a dia, aplique o protetor pela manhã e reaplique na hora do almoço. Na praia ou piscina, reaplique a cada 2 horas ou até antes, se você suar ou se molhar. Nessas situações, use também chapéu de abas largas. Planeje suas atividades externas para momentos do dia em que o sol é mais fraco.